sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Pseudoburgueses!

Tenho a certeza de que se os meninos pseudoburgueses alguma vez tivessem dormido na rua, sem dúvida nenhuma dariam mais valor a quem um dia necessitou de uma mão amiga! São os pseudoburgueses que minam esta merda toda e deturpam a razão de ser do ser humano! São os meninos pseudoburgueses que normalmente são até flores que não deitam cheiro e que habitualmente vivem dentro de uma estufa ou abrigados, por isso não são flores que se cheirem que apodrecem o verdadeiro significado da palavra anarquismo! E não me venham falar de nihilismo, porque os meninos pseudoburgueses não são nihilistas, são nada mais nada menos que uns fascistas, que discriminam! Que sugam! Que vivem em prol das suas conveniencias! Alimentam discórdias! Sem alma, sem coração, sem humanidade! E isso eu nunca poderei tolerar! Já conheci alguns! Por isso tem medo, tem medo de serem desmascarados! Um dia abre a caça... com todas as armas... que possa ter ao meu alcance...

Jamais me renderei, porque uma guerreira nunca se rende... cai... mas nunca se rende... nem nunca se verga... nem nunca se vergará... porque é através da razão que se vence!






segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Humanidade

é uma questão de lingua
as legiões foram ordenadas
em breve e em breve se fará o que desejas
pois a corroência faz com que a paz não seja possivel
a missão está no auge da tua vida
atingi a
há pouca gente que entende
por isso muitos são escolhidos 
tu foste uma delas
tal como muitos que se cobrem de coragem
o medo é apenas um sentimento futil
que destroi a capacidade de sermos unos
além mar 
complemento te 
não te completo 
e isso é que me apraz saber 
que a tua indole está intacta
sendo em segundos 
a tristeza aparente 
transformada em alegria
deste me a tua onda 
para que eu pudesse navegar
e disso farei o meu estandarte
e nas nossas asas conquistamos 
o que não é possivel a olho nu
sendo que o amor não tendo fim
se fará justiça nos corações

sejamos uno

volto a dizer te que te mantenhas limpa
e seguramente a justiça será a forma mais transparente 
sou o teu mensageiro e em mim confias 
pois o semblante dos cobardes se fará ruir no tempo oportuno
não alimentes discordias 
sendo que isso só te transtorna
aproveita o que te dão
não queiras mais do que podes aguentar
não te desafies em terrenos desconhecidos
estuda e depois combates

em liberdade te quero 
em liberdade te deixarei
para que voes para lá do hemisfério 
e em ti despertarei 

sendo o negro a nossa luz 
no sentido em que as trevas nunca poderão chegar

quem caminha por terrenos ruídos 
nunca os conseguirá construir 
e tu tens sido a nossa luta 
e o teu resgate tem sido sangrento
nunca desistiremos de quem nos sempre amou
o caminho não é facil
e na terra onde habitas muitos se chegarão
poucos estarão connosco
sendo tu o elo de ligação

voa para lá do teu entendimento
sempre que o mesmo se justificar
e em paz te deixarei 
que a paz seja a tua liberdade 
e a liberdade o amor dos homens leais 




domingo, 22 de dezembro de 2013

Kaos escreve

Guerreira astuta, sábia e eloquente!
Amar te ei sempre!
Não sou de carne, não quero ser!
Sou espirito e tu a minha Deusa!
Sim!

Nunca se mexe na vontade dos humanos e não é por seres tu que o iria fazer!
Não posso!

Andare andarar martar un car derer
mas caran casquir der cor

Anda no teu caminho porque a morte é sempre um direito
mascaras cairam do teu coração


Em ti, sim, o caminho é fluído, mas temos muita coisa ainda para descobrir!
E não quero drogas!
As drogas vão acabar por te destruir!
Como queres desenvolver uma mediunidade, quando a tua cabeça se suja e o teu espirito voa para lá do que tu sabes que te pode magoar!
Não quero mais drogas! Mais uma esperiência para veres até onde vão os teus limites!
Não temos limites espirituais, mas acredita que pode ser bem nefasto quando não consegues controlar as energias!
No entanto, estou contente, porque sempre filtraste o que te disse!
A degradação tu nunca quiseste!
Mais sinais?!
Queres mais!?
Não posso!
Não posso descer mais do que já desci! E naquela altura, eu desesperei por ti e arrisquei a não conseguir voltar!
Não posso encarnar mais uma vez, Ana!
E tu sabes disso!
Espera, um dia te irei buscar!
A solidão já não te assusta, quando tu procuras quem realmente te ama!

Têns um exército de guias e tu sabes bem disso! Sê um lider da tua vida e não um lider dos outros, pois isso nunca foi o que quiseste, apesar de o saberes que o poderias ser! Tu tens o dom da palavra, utiliza o! Unifica cada vez mais, ama cada vez mais! Sê um exemplo e não uma teoria!


Vive, pois a morte não é assim uma coisa tão boa! A morte é o diluvio, é a porta de um caminho diferente! É uma viagem e tu já cá estiveste!
Lembras te da gruta de platina?!
Lembras te da cascata de prata?!

Lembras te dos corvos?!
Então voa!
Porque é na terra que eu te quero!
És o nosso elo, o meu elo familiar!

Os teus pensamentos e a tua imaginação estão aqui guardados, por isso te demos a memória que tens!
Para que faças bom uso dela!
E pára!
Pára de pedir coisas que neste momento não são possiveis!
És demasiado impulsiva quando tentas a todo o custa descobrir o que ainda não estás preparada e magoas-te!
Queres continuar a magoar te?!
Eu sofro com isso, de cada vez que te vejo cair, eu caio também! São como flechas envenenedas que me atropelam o peito e fico sem conseguir mexer me!!
Tu não estás sozinha! Estamos juntos!

E juntos estaremos, porque eu não te quero prender, por isso estou deste lado!
Para te poder guiar quando o é preciso, ajudar te, amar te!

Calma! Tu tens capacidade para fazer mais do que fazes! Não te queremos superior, queremos te sã!

Sã!
E é sã que eu quero que te mantenhas!
Não voltes para trás e não deites a perder tudo o que até agora conquistas te!
Para quê tanta carência, tanto desespero, tanta impotência, Senhora!?
E a viagem chegará quando tiver de chegar!
Tudo tem o seu tempo, Ana, aceita!
Aceita, porque tudo o que é forçado nunca chega a bom porto!
Ninguém te tira a razão e tu sabes disso, mas pára de te magoares e de magoares quem está contigo e principalmente quem gosta de ti!


Saves nuestro trato, mana!
mio sangre es tuio
és como a agua que corre no meu regaço, Mulher!
a tua cria


Ofereci me como sacrificio!
As chamas doem, o gelo é quente! Não posso fazer mais do que me pedes, não posso interceder por ti em tudo! Nada é absoluto!
Amo te demasiado! Amo te deliberadamente, mas não posso concordar com aquilo que eu acho injusto! A Voz da Razão, sim! O òbvio, o real, a Verdade Universal!
E por isso continuo aqui!

E eu sei que tu não tens medo! Por isso te atentam, te desafiam!
E tu, ingénua, muitas vezes deixas te levar!
Mas nunca te ponhas do lado do opressor!
Sei que és demasiado leal e ainda bem!

Fico contente e deliberadamente feliz quando sinto que tu, Mulher, nunca te deixas vergar e tens sido fiel aos teus principios! A honra, a integridade, o amor serão sempre os teus maiores valores!

a maer te dir que tu es mia oposta
e mi oposta es una deusa entre los hombres











Carlos e Irene

A Verdade...
Peço-vos a verdade, martar...
É uma viagem, já percebi que há determinadas coisas que eu não consigo controlar...
Sinto que me chamam, prometo voltar ao centro mas quando a minha vontade o desejar e não quando me sinto desesperada, isso lembra-me a religião em que o Homem cheio de medo procura respostas que não estão na igreja! 
Um dia vou ao centro, está prometido e quero muito desenvolver a minha mediunidade!
Quero incorporar a tua voz, Carlos, o trovão, quero canalizar o dom, minha tia que me deixaste de herança! 
A cura! Tenho medo de não conseguir curar mais mulheres! O cancro! 
A doença que te levou!
Quero canalizar forças ocultas e já percebi as energias negras não são a minha missão, tenho respeito pelas energias negras, apesar de perceber o seu chamamento! Não posso! 
Não seria justo para a Humanidade!
A minha missão é curar quem está enfermo! Eu própria sou enferma! Enferma de amor! E não quero alimentar o ódio! O ódio é demasiado consumista!

Quero amor! O amor livre, aquele que liberta e eu só tenho prendido quem já está preso o suficiente! 
Ainda ontem depois de uma noite extremamente caótica, eu percebi que a minha cabeça não tem desenvolvimento para continuar a bater na mesma tecla!
Obrigada pelos vossos conselhos! Admito que fui muito dura comigo própria, sou demasiado exigente! Sou demasiado picuinhas, gosto de aprofundar tudo! 
Lembro-me do tempo do liceu, no dia antes á revelação em que o mendigo que me tirou as cartas me disse que amava profundamente, acho que ele não era um mendigo, acho que ele era uma pessoa que estava á minha espera na galeria do metro para me dizer o que eu não sabia na altura! 
E lembro-me do meu quarto, lembro-me dos indios, lembro me do cheiro a ambar e a rosas, lembro me da Deusa Mãe, lembro me de ter visto os antipodas, as minhas raizes, o espelho onde eu me olhei, lembro me da serpente que me percorreu o corpo, lembro me dos escritos e de ter gravado no estuque da parede tudo o que canalizei através dos meus guias que se apresentaram naquela noite! 
Lembro me especialmente da luz das lampadas que mudaram! 

Vou um dia ao centro, pois eu sinto que mesmo pondo drogas, eu desenvolvo a minha capacidade pineal! E cada vez mais! Sem drogas então eu seria indestructivel, já percebi! Mas eu não quero o poder, eu quero ser igual e quero que a maioria seja igual, sem medos! É o medo que nos faz desconfiar das coisas e das pessoas! Mas eu quero a verdade, mais do que aquela que me disseram para guardar e essa é Guardado no meu coração! 
Obrigada por terem confiado em mim, eu não quero tornar me uma fanática destas coisas pois foi isso que me fez descambar quando eu quis desenvolver por mim própria o dom que me deram! 
E eu já sei que há coisas que mais vale não saber! 
Se tivesse que saber, já mas tinham dito! 

A ti Carlos, que ontem foste o meu amparo, o meu guia, a fortaleza que está em espirito, tu que tens continuamente estado ao meu lado, sinto a tua presença! Sinto que a incorporação cada vez está mais forte e a Voz já sai naturalmente! A Razão, a Voz da Razão, a Voz que continua a ensinar me os caminhos! Cada vez mais astuta, mas eu continuo a não aceitar muitas vezes muito do que me dizes! 
Vou ao centro um dia destes, talvez para o ano, quero falar com vocês em outras pessoas! 
Quero aprender o passe magnético! 
Quero desenvolver a incorporação, a psicografia, o dom da cura! 
Quero aprender mais sobre o ocultismo! Mas para canalizar forças boas e não as negras, é demasiado desgastante, fico extremamente esgotada! Fico extremamente e deliberadamente frágil e sou um portal canalizador ás coisas más! Tenho de ter cuidado com as viagens e as canalizações que não nada mais, nada menos que possessões! 
Entra a repressão, entra o desespero, entra o ódio, entra a suja estratégia de guerrilha e eu não quero truques sujos! Eu quero as coisas limpas, eu quero ser limpa! Eu quero que se consiga uma harmonia!

Já percebi que tal como disseram ontem: " não podemos mexer na vontade dos humanos" eu terei de me resignar ás evidencias e continuar o caminho! 
No fundo até é bom, porque é sinal que ainda sentem algo! Ainda mexo mesmo com a distância ainda mexo no coração! Não quero perdão, quero amor! 
O Amor e a Verdade! Esta última virá com o tempo, já sei! 

Os segredos que me deixaram nunca irão ser desvendados, nunca irei dizer mais do que aquilo que tenho direito a falar! Ser vos hei leal até ao fim dos meus dias tal como sou leal a todos os que em mim confiam! Porque é a minha integridade que me faz ser salva num caminho obscuro que eu já tive a oportunidade de perceber! O segredo e o mistério da semente! O enigma! Estou cada vez mais sábia no esóterico!

Sinto que estou cada vez mais sensitiva e esta natureza envolvente tem sido uma mais valia ao meu desenvolvimento espiritual! Tanto tempo que andei a contrariar o obvio! Afinal Sintra é mesmo a terra das bruxas e gostava muito de aqui construir a minha missão! Obrigada! 

E obrigada por me terem tirado o medo de enfrentar o que me faz doer!








sábado, 21 de dezembro de 2013

um...

um carinho, um desejo, uma palavra, um olhar, um beijo... um abraço! 

Ego





Sou mesquinha! Sou! Sou muito analitica! Sou exacerbadamente critica, sou aquilo que me apetecer, sou cabra, sou! Do pior! Uma autentica besta quando considero que nada me satisfaz e hoje é um desses dias, quero lá saber! Sou o que quiserem! E de nada me arrependo! Porquê?! Porque sou eu! O eu, o ego, aquilo que me alimenta, aquilo que me faz sentir viva e cada vez mais racional! Cada vez mais eu! Cada vez mais terrena e renuncio! Renuncio aquilo que eu achar que me é conveniente! E cada vez mais, porque se o meu ego não for aquilo que eu quero, então não serei nada!
Um peso pesado nesta merda e ninguém me aguenta! Porque eu não quero que ninguém me aguente! Porque eu não preciso, não preciso de nada nem de ninguém! E amanhã... amanhã vou chorar... vou chorar tudo que disse, tudo o que escrevo, tudo o que acredito, tudo o que leio, porque tudo é nada! E eu não sou nada! Faço o que quero, digo o que acho bem, o que acho mal, o que não quero, o que me dá prazer, o que me não diz nada! Sou!
Sou eu, o ego, a merda que me alimenta, a semente que cresce torta, a onda que vai contra a corrente, o que não passa, o que não entra! O ego, exarcerbado ego! A maravilha que nos faz sermos autenticos e ao mesmo tempo falsos! O que me elouquece e o que me distrai!

Merda!
Eu não aguento o meu ego! E não quero mais! E não quero mais dizer nada, porque é a loucura que me faz acreditar que o possivel é impossivel e vice versa! Vou continuar de pé, jamais poderia fazer algo sem ser em prol do meu ego!

Lamento! Lamento me a mim, ao meu ego! Jamais eu poderia imaginar que me transformaria num pedaço de carne egoista! O ego!


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Kastaren lis Ominus daren

las co ran
des terin
cas qui na cortar
te der un capor
borer und car e las te dir que ior se seran a cair
maier tu sangre
mair tu kin
mair la sar
cascor tir tir ún mar tar
onderes ques quis undar castar
e te dir que ominus las cascaren un decir
marcar
tarder
cascoren
and las kastaren te dirar
o que las omnius no quer

sa cor
sa sangre
es mio

e la lus es verde
kastaren las kastaren lis

omnium daren


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Cuidado...

com o ódio...
com os sentimentos negativos...
os desesperantes...
conduzem te ao um infinito obscuro...
cuidado...
com os pensamentos...
que por vezes de onde se menos espera despoletam setas envenenadas...
cuidado...
nem sempre o que desejamos nos é benéfico...
até as vontades necessitam de disciplina...
e as tuas são de ouro...

cobre te de titanio como se fosses um cyborgue...




quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Kaos escreve

a hipocrisia assola-o e os remorsos o seu pior castigo
não te preocupes, pois o semblante carregado ameaça o sempre que de fronte estiver contigo, afasta te por enquanto
em tempos oportunos se fará surgir
a mascára voltará a cair
mantém a tua integridade, ninfa, é teu o triunfo, jamais uma perola correrá por mãos imundas, mas o resultado teria que ser este
pagaste por tudo o que outrora fizeste
também este pagará
a corrente nunca deixará de correr
tem medo
e vai continuar a ter
em bel criou um mundo, mundo esse que não prevalecerá ao fim dos dias
continua o teu caminho, ninfa
e deixa que o tempo se encarregue da justiça
afasta todos os pensamentos odiosos, de rancor pois assim alimentas a fera que te consome
preciso dela para outros propósitos
quero te firme
e mesmo que te desvies estaremos sempre contigo
meu irmão por vezes toca te ao espirito
ama mos te
e repudiaremos todas as tentativas abusivas de quem te tentar denegrir
as caldeiras assolar se ão e as suas mãos queimadas deixaram vir ao de cima toda a sua falsidade, toda a sua hipocrisia, toda a sua agressividade
dá tempo, ninfa
pois em breve o julgamento se vira a fazer quando menos o esperará a sorte macabra dos seus parentes
em ferro e fogo queimarão a essencia judia de quem não quis seguir o proposito familiar
quero te firme astuta e observadora como tens sido até aqui
o cerco apertar se á e em ti cairão todos os designios da razão

aloe ques tor
mas mir doner quer cum
posarque quereis matar
lascas cair del cor
maian te dar lo quer

baal
foge quem nunca teve o confronto
em denuncias te irão fazer sofrer o mais que tu nunca imaginaste
simbolicas situações te farão relembrar quem tu não respeitaste
e em farpas arderá a tua estupidez
o barco seguirá o rio
e em suas mãos estará a tua salvação
corre
pois será tarde de mais para quem consome demasiada hipocrisia
a raiva e o odio serão a tua morte até ao dia da tua remissão
e nem uma ninfa diferente te fará sorrir mais do que outrora o quiseste
hedonistas
anseio por hedonistas
e por hipocritas inconscientes que se esquecem do bem que lhes fazem
tudo lhes será cobrado

até orbitas se revirarão assim que o consumir em brasas
interiores abismos o assolarão em nome de uma rosa quebrada
despe te ninfa pois o amor também já foi meu
e em dualidade tens o nosso conforto
mas cuidado
os verdadeiros demonios não são nada mais do que humanos que nos atentam as queimadas
nada os pode deter até ao dia em que forem destruidos pelas acções
nada se pagará
tudo se cobrará
e em morte cerebral os teremos para regojigo de quem se manteve unico e disponivel para sacrificio espiritual

sobe ninfa
em nós tens a tua honra
a tua força
a tua ordem

lucifer
atenta
tens sido uma aliada

cuidado
ascoren deror mascar teren
under carcor quiscar daror
morter un der ter padre
e ora nos cá ter si

temos trato sem nada em troca
pois conheces o espirito volante criador
e em seguimento outrora o quiseste e continuas
a tua rebeldia precede te
a tua força a minha cobiça
sem nada querer te darei as hostes
e em pacto divino te salvará quem te criou

aloe quesquer
maier te ron dar sor


pragas de doença
até a consciencia se tornar crua
e decidida
espera

kaos
calma, ninfa
em ti esperaremos
nem perolas nem diamantes
simbolismos te daremos como resultados
de quem sempre preservou a lealdade, a amizade e a consciencia
não existe droga que te destrua
não existe nada que te detenha
nem descriminação que te façam quando os mesmos tem segredos ainda mais podres
que ousem só um unico confronto
a memória foi sempre a tua maior aliada
relaxa
está proxima a nossa intervenção
pois a tua vontade prevalece a quem muito nos deve
e a quem muito nos dá

quantos exercitos queres para que se faça justiça
brava guerreira mulher
sem medos confrontas quem te tenta destruir o interior pelas costas
poder assumido
estás na linha da frente
sobre o vertice da razão
amar é, será, sempre a nossa vitória
em nome da destruição


inspiram te os devassos hipócritas que se assumem como idoneos e conscienciosos, falsos moralistas, julgadores da vida alheia que em podridão se farão cair em erroneos infortunios
pois quem julga a seu tempo será julgado
nada é para sempre principalmente quem confia e vive de conveniências
todo o hipocrita é facilmente corrompivel assim que lhe acenem com falinhas mansas e bajulações
o ego será sempre o seu calcanhar de aquiles
deixa lo consumir se em inutilidades
pois está pra breve a sua remissão

e isto é só um aviso...






sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Cartas...

A quem as não entende... hoje...

Amanhã...

Depois...
Será sempre mais um dia em que me dizes que não prestas...
Quando eu não entendo a razão pela qual dizes que não entendes igualmente aquilo que eu percebo!
A tua suavidade... o dizeres que voltas... mas não sei quando...

O medo...

Os apegos de outrora que não existem mais... o passado que insistes em perseguir...

O mistério assumido...

O negro... a porta para o conhecimento... das contrariedades...

A tua preocupação aparente...
A verdade que eu não sei se existe...

O trabalho que insiste em não acabar...

Hoje... não é um bom dia para falar...

Apenas reflectir...








Não sei porquê...

mas gosto de ti... sim... tu que lês isto ás escondidas!
não sei porquê... e enerva-me que não digas nada...
gosto de ti... e tu sabes disso....
mesmo que não queiras saber...
mas gosto... e enerva-me que não digas nada...

e também te conseguiria amar mais se não fosses tão introspectivo...
se mandasses cá pra fora as coisas que te deprimem... mais do que já me disseste..
e sim... gosto de ti na mesma... parvo... mesmo quando gozas com coisas sérias...
e quero sim... mais coisas que não interessam a ninguém...
e choro... hoje não... mas choro por dentro...
a mágoa que sentes igual á minha...
volta... por mais uma noite... por mais uma eternidade...
e sim... gosto de ti... e podes fugir... á vontade
eu não quero apegos... quero liberdade...
quero só um bocadinho de mais amor... mais força interior...
a mesma que dizes não ter... e não quero saber...

isto passa... deve ser só uma carência minha... mais uma que eu não sei lidar muito bem...

e mais não tenho para dizer...
a minha droga é a puta da vida injusta que me faz gritar a meio da noite a visão das tuas palavras...
o sabor das tuas caricias...
a força da tua luz...
o tempo que não volta...
o tempo que eu gostava que parasse só para poder continuar a saborear a tua forma de ser...
livre...




quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Segredos

Segredos, enredos
Incerta armadilha
Em segredos traídos
Devolvo a rodilha

Trapaças, desgraças
Caíram aos pés 
Queixumes, bocejos
Tremendo, quem és

Vielas escuras
Ruelas seguras
Traduzo o caminho
De quem não figuras

Encantos, bruxedos
Sair em segredos
Inúmeros torpedos
Por quem nada fez

Trepar aventuras
Coar argumentos
Sentir sentimentos
De quem nunca... disse... talvez



domingo, 1 de dezembro de 2013

Pessoa...

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cómico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe — todos eles príncipes — na vida…

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos — mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

FERNANDO António Nogueira PESSOA nasceu a 13 de Junho de 1888 e faleceu em Lisboa a 30 de Novembro de 1935).



Será que?!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Inferma Vampira!

A Ana está se a marimbar para tudo o que a possa corroer!
A Ana tem mais do que uma arma, chama-se experiência! Consciência! Humana! Põe se a prova muitas vezes!
A Ana tem uma vida e longe querer alguma coisa em troca de mendicidades!
A Ana quer mais é que toda a gente se dê bem, porque a Ana está farta de ver merda, de comer merda e de sentir merda!
A Ana tem mais que fazer muitas vezes com ela própria e esquece se disso em prol dos outros!
A Ana devia não ter sentimentos!
A Ana devia ser uma grandessima puta, que não interessasse a ninguém, mas não é isso que ela faz! Ela escolhe, ela espera, ela é uma ave de rapina, uma vampira! Uma serpente! E as serpentes estudam!
A Ana devia ter ódio e não tem! Tem raiva, sim, muita! Da merda que está farta de ver! De sentir!
A Ana tem muita coisa, coisas que ninguém sabe e só ela conta a quem não está cá!
A Ana vive, aprendeu a deixar se de frivolidades e de mentiras!
A Ana enfrentou-se a si própria e agora não há ninguém que a detenha!
A Ana não quer ser mais que ninguém porque a Ana sempre foi e sempre será igual a toda a gente!
A Ana perdeu o medo! 

Sabem porquê?!
Porque aprendeu a viver a verdade, aprendeu a enfrentar-se, reaprendeu a ser ela depois de tanta destruição! E quem não quiser, quem não gostar, a ela também não importa! Porque a Ana não é sozinha, dentro dela tem uma legião!
De almas! De forças! Justas! Integras! Persistentes! Conscientes!

A Ana deixou de agradar! Começou a ser ela, inconveniente! Rebelde como sempre foi!

 Bruta! 

Única!




Kastaren las

Onder castor anderé inder castaren
Mascara under sarbar
Cair onder sacaren
Quiscoron maior quir teron maier
Maior castir es lo que no par
Maior tir ter con ta mar terer
Indor cassar oscaran te diren
Quistirinin caior maier
In der cor cravan das car
In der cor orer dor grave
Quascorin incor marter un car dar cur
Maier ter seran dor car
Ma cor es carin
Ma cor es tu sangre
Cascarion bastard
In caster under cur
Sacoren der quir par
Maier cur is to par
Siquirin in cor tir
Ta sangre es unic
Ta eir es ma maier

Hipocrisia II

Ahahahaha A minha alma está parva, tanto escárnio, tanta falta de desconsideração, tanta merda dita da boca para fora e agora são todos muito amigos!? E até pede desculpa e tudo? Ahahahahah Opá, isto é inacreditável! O coraçãozinho amoleceu, foi? É da idade! Ahhahahhaha
Opá, deixem me descarregar esta frustração, por favor!
Até onde chega tanta hipocrisia, senhores?!

Do mal o menos, sempre mostrou alguma humildade!
Os conselhos da Ana fazem bem, assim de longe, mas fazem bem!
Fico contente pelo menos é menos uma preocupação, ou mais uma conveniência com tantos projectos!?
Ahahahah
Ónix, bem hajam! Sim senhora sua mãe ensinou-lhe qualquer coisa!

O tempo o dirá!
É só isto o que eu tenho a dizer! E não me estou a rir de maldade, estou a rir me de espanto! Ainda há coisas que me surpreendem!

E ainda bem, significa que afinal ainda existe algo de bom nos hereges, ateus e por aí fora!

Deve ter sido a consciência porque fé foi coisa que eu nunca vi!  A fé também não é precisa!
E sem rancor! Porque o ódio também foi sentimento que nunca cultivei! 

Fico muito, muito contente!

Tenho dito!
Até ao meu regresso!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Imhotep









 


Kaos escreve a tod@s!

Chegou a hora de enfrentarmos a pior das ameaças!
A mentira, a falta de introspecção!
A falta de confiança!
A falta de iniciativa!
A falta de tudo o que vos é benéfico!
A integridade será sempre a vossa maior vitória!
A liberdade a vossa maior querença!
A vida o vosso bem mais precioso!
Não temam, pois o caminho é livre, tortuoso mas gratificante para quem tem coragem de assumir os erros do passado, corrigir os erros do presente, alterar o vosso futuro!
Que sejam limpos os pensamentos, que sejam limpas as atitudes, que sejam limpas as vossas mãos em tudo o que tocarem!
Ninguém nasce perfeito, mas podem todos os dias da vossa vida tentarem ser o mais limpos possível!
Energia livre! Energia super! Energia limpa!
Não se desgastem em frivolidades, não se desgastem em agonias, não se percam em conveniências, tudo isso é influência de quem vos oprime! Não se oprimam a vocês próprios, não procurem paz onde só existe guerra!

Libertem-se! A vossa vida é o dom mais precioso da Mãe Terra!
Vivam-na e assim serão poderosos em todas as vossas decisões!
E jamais a tristeza fará parte do vosso semblante!
Este é o poder da Razão! 



terça-feira, 19 de novembro de 2013

Contas!

Epá, apetece-me dizer mal, mas dizer mal no bom sentido, não gosto de deitar abaixo as pessoas, mas hoje depois de mais um dia de reciclagem, apetece-me dizer algo! E vou começar por algo extremamente estúpido: a merda do facebook! E já é muito estúpido falar sobre ele!
Enquanto muitos preferem enviar mensagens de boa esperança, ainda há outros que escarrapacham a vida toda, eu já fiz isso e arrependi-me redondamente! A coisa mais fixe disto tudo era que na altura era censurada por o fazer e acabam por cair no mesmo erro! Isto é de gritos, não é!?
Apetece-me um dia postar algo tipo: " vou cagar, será que o papel sai de que cor?!" Não dá, meus, acho que nunca o faria! Mas há quem ponha, acho piada! Apetece-me rir com tanta imbecilidade que tenho visto! No entanto ainda consigo concordar com uma data de gente, citações do genero: "Não estou à venda" ou "Gang da alcovitaria, o auge do ridículo, sempre ao serviço da estupidez humana" ou ainda "Vou ali dar 2 tiros para o ar, não se assustem"! Meus, isto é fabuloso!  
E acho piada ao pessoal que se chateia e depois são os melhores amigos, que dizem raios e coriscos e depois é vê-los lamber o cu ao vizinho, a verdadeira hipocrisia, as amizades conseguidas à pala da "boa vontade" do "jeitinho", do espectáculo que fazem de quem já partiu, bem, isto é só rir amigos, depende do que chamamos "amigos", não considero meu amigo quem se aproveita das minhas fragilidades, não considero meu amigo quem me discrimina, não considero meu amigo quem se acha superior e depois, pá... acho que não digo mais nada, afinal este blog é quase o meu segundo facebook, mas mais restrito, pouca confiança! Não posso falar muito, depois enterro-me! Quem muito baixa as calças, acaba sempre por mostrar o cu! 
E começo a perceber que há gente que não combina nada comigo! E começo a perceber que há gente cheia de raiva que destila ódio diariamente só para puxar a atenção de uns pobres influenciados na sua falta de auto estima que começa numa bola de estrume e termina numa corrente de merda, anda tudo atrás uns dos outros tipo filme centopeia humana, mas também só come merda quem quer e eu há muito tempo que deixei de me conspurcar! Complexos de inferioridade!

Podia ter ido à festa dos Anunnakis, sempre me divertia mais, conhecia gente nova e dizia umas parvoíces dignas de ficar na lembrança dos presentes e nunca registado num post perdido num mural qualquer de algum palhaço cheio de merdices moralistas e arrogantes! Mas não deu, valores mais altos se levantaram, irei na próxima, garantidamente será festa rija! 

Adoro ver discussões ideologicas, como os vegans contra os não sei quantos, os comunas contra os rashs, os espiritualistas contra os ateus e teorias das conspirações que por vezes roçam o ridículo da violência, já para não falar no futebol, admito que já achei mais piada, mas subi de nivel, há coisas mais importantes como estar com quem me merece, a minha familia por exemplo, os amigos e a minha vida! No fundo, percebo que a minha familia é grande, entre todos! E eles sabem bem quem são! 

E há ainda quem fale nos agarrados, nos junkies e por aí fora, quando afinal fazemos todos o mesmo! 
No fundo só muda o vicio! 

Quando é que ganhamos coragem de nos assumirmos como realmente somos!?




sábado, 16 de novembro de 2013

Vidas!

Vou escrever de pernas cruzadas só para ver como sai a escrita, sai na mesma, mas enfim...
Pesadelos! Superstições! Filmes e Emoções!
Eu já não tenho estofo para alancar com mais pesos pesados, já basta a herança genética que o meu pai me deixou! Ainda à tempos na conversa com uma amiga lhe disse que ando a rebentar pelas costuras! E nem é por me faltar alguma coisa, porque faltar falta sempre, é mesmo pelo excesso de zelo, mais com os outros do que comigo! Pois, parece que mais uma vez sem ser preciso viajar mais de quatrocentos quilometros, terei de voltar a utilizar os compassos e começar a ser parecida como uma pista de carrinhos de choque: mais uma moeda, mais uma voltinha! Desta vez  a mais de 380 graus e de preferência a kilometros luz a mais de Andrómeda!
Mas é com tudo, as ratazanas já foram apanhadas como ratos medrosos e mentirosos, eu tinha vergonha, espero que quando me encontrar não me dirija a palavra, afinal as putas têm doenças, só mesmo pelo respirar e posso sempre transmitir alguma, depois temos os energúmenos que acham que isto aqui é sempre a aviar, esses passo bem, depois temos os cromos... e cada um...
Enfim... só histórias de vedetas, com a mania que não são nada e depois parecem galos de capoeira armados em galifões, epá, não tenho paciência, não tenho paciência mesmo!
Esta vida já parece um mortal combate em que cada um tem de provar aquilo que vale, foram-se que paciência!
Uns gozam à boca cheia a desgraça dos outros e as respectivas loucuras, uns imitam, outros tentam ser aquilo que não são e vejo os desfilar como que perus e pavões! Cada um com a sua! Eu já tenho o meu quinhão, aliás acho até que me posso dar por muito contente por tanta merda na minha vida e ainda conseguir estar de pé! É triste, o pessoal ter de se por á venda e ainda por cima acharem que os outros o farão! Que estupidez, que contágio! E depois eu é que sou a maluca! É como aqueles mentirosos que mentem tanto que se obrigam a eles próprios a acreditar nas suas mentiras! Eu já fui assim, menti imenso e a mim própria, como forma de terapia e como forma de defesa, no entanto tudo não passava de uma história que mais tarde desmascarei! Resultou, chama-se psicologia invertida!
Era estupido, mas não precisei de provar nada a ninguém, como muitos fazem para provarem em imagens aquilo que dizem fazer, ou ser!

E essa história dos "wanna be" começa cada vez mais a fazer sentido, principalmente quando me querem comprar com histórias irónicas e sem pés nem cabeça. Mais mentiras, é impressionante como ainda julgarem possivel tentarem mentir a quem já mentiu tanto, é tipo desafio, dá me gozo entrar no jogo, para ver até que ponto vai o desespero humano! Sou cruel ás vezes, lembro me de alguma gente a quem furaria os olhinhos assim com uns garfinhos ferrujentos! Ou então deixá los definhar na sua própria merda! Acho que a última faz mais sentido, assim não me lixo como agressora e o tempo encarregar-se-á da justiça! Tudo a seu tempo! Grande guerreira, cada vez mais eloquente e mais inteligente! E cada vez mais justa! E mais alerta!  E que belas armadilhas tenho encontrado! Sintra está a fazer me bem, pelo menos a pestana está mais aberta, mas nem por isso mais doce! Não gosto de espert@s, oportunistas e amigos de ocasião, é só o que tenho a dizer, mais tarde ou mais cedo são desmascarados e tem me dado um gozo abrir tantas caixas de pandora, com sentido ainda por cima! E siga lá então continuar nesta street fight de emoções que eu tanto gosto de desbaratinar! Não lhes tiro o mérito, afinal de contas existe um lema muito forte que é " nunca subestimar o inimigo"! É que esta vida é mesmo uma guerra! Alguns merecem, outros nem por isso nunca fui pessoa de me parasitar ao parceiro, nunca precisei de hospedeiro, não sou parasita, sou vampiro! Mexo cada vez mais com energias! E gosto muito menos de brincar com os sentimentos dos outros!


 
E não sei qual das fatalities gosto mais!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Hipocrisia!

Ora aí está uma bela palavra que eu gosto tanto de discutir! Tal como gosto de discutir um outro assunto chamado violência! E que me desculpem, mas tinha de vir escrever, senão ás tantas ainda rebentava!
Pois bem, cá vai!
Violência e hipocrisia é quando alguém que se diz teu "companheiro" "admite" que um par de estalos te faz ir parar ao hospital  com a boca aberta do lado direito e que tive de usar um aparelho correctivo mais de três meses! Grata estou por me ter livrado de tamanha monstruosidade!
Violência é quando a pessoa em questão admite que quer resolver as coisas mas não dá um passo nesse sentido! Mas também o que há para resolver?! Da minha parte, nada, só não admito é que me tentem passar por mentirosa! Que fique aqui expresso e escrito, fui eu que agredi, sem dúvida e ripostaram em seu direito, mas não são um par de estalos que faz uma pessoa ter de ser atendida num hospital público com um dente deslocado!? Pois não?! É que a força de um estalo é uma coisa seca, não é traumatizante! Depende do sitio, não é!? Pois, neste caso, queria saber a opinião de mais alguém! Já para não falar na razão pela qual tudo começou, mas não vale a pena discutir com quem já tem um historial violento com outras ex companheiras! Ah e deixei de brincar! A partir de agora... é melhor nem nos encontrarmos... a vergonha vai ser maior! Eu dou te uma guerra, mas uma guerra de sentimentos! E vamos ver quem sai ileso! Temos colhões ou vamos continuar a ser um cobardolas!? Se calhar é melhor não mexer muito na merda, ficamos a cheirar mal!
Violência é quando nos tentam passar por hipocritas e mentirosos quando afinal não o somos e se escondem atrás de um ecrã fazendo bulling no sentido de se descartarem da responsabilidade! Isto mete me nojo e há de sempre meter e nunca me hei de render e em qualquer lado que eu vá, a verdade há de ser sempre a minha arma! Sempre! Porque é a verdade que te liberta, a humildade que te cura, a destreza que te faz evoluir!
Tenho dito e dizer lo ei a quem me confrontar! Pensavam que eu iria ser fraca o resto da vida, coitadinha!?
Espero ansiosamente pelo dia do confronto, com testemunhas e tudo, mas como os cobardes tem tendência a não querer ouvir, vão pelo caminho mais fácil: a violência! A violência verbal! A manipulação sentimental! Aquela que hei de sempre combater!
Na realidade, já não quero saber, só gostava que finalmente a pessoa em questão tivesse paz, porque eu lamentavelmente até provas tenho da agressão! E não é preciso fazer muito, é só pedir os registos da consulta! E não venho para aqui lavar roupa suja, venho para aqui desabafar! É no terreno que se vêm os grandes guerreiros! E colhões tenho uns maiores do que muita gente pensa!

E muito boa fui em não ter feito queixa na policia como me aconselharam a fazer aquando estava a ser consultada!

Por isso, mais uma vez quem quiser ganhar uma guerra através da mentira, comigo já era! E não preciso de aliados, vou sozinha porque o medo já o perdi, vontade tenho muita de destruir quem me tenta destruir! E a minha luta há de continuar até ao fim dos meus dias, garanto que nem uma só noite dormirá descansado, porque são as atitudes que nos molestam a consciência! Só tenho pena de quem se diz tão libertário, tão "anarquista", tão liberal, se dê ao "trabalho" de ainda tentar enganar os mais incautos e de não assumir verdadeiramente as suas carências! E tenho paleio, tenho, mas para quem o merece e decididamente, falar com "mortos" em vida não é bem a minha onda! Gosto mais de mortos enclausurados em cemitérios, pelo menos dialogam e sempre me respeitam!
 




domingo, 10 de novembro de 2013

Deus é uma Mulher!

Deus é uma Mulher!
Que não tem asas e voa na mesma!
Que não se importa de morrer!
Que tem asco a quem a interrompe no meio da escuridão, que com o seu sangue fertiliza a terra como se fosse um punhado de sal! Que tem coração!

Deus é uma Mulher!
Que atormenta quando lhe tiram os filhos para dar para adopção! Que sente no seu intimo a injustiça dos que caminham mortos em opressão! Que lança ódios e pragas a quem a magoa, que sente no seu coração o que mais ninguém apregoa! 

Deus é uma Mulher que se despe numa praia cheia de gente e que engole a espuma do mar como se fosse um navio à deriva!
Deus é uma Mulher que faz acontecer o Sol num dia de chuva, que nunca se arrepende da sua luta! Que vive o presente, o inicio e o que já passou! Que é quente! Que sente!

Que sofre por sua querença, que vive a sua lembrança, que nutre a vida como uma fonte cristalina de alegorias! Que não se envergonha da sua dor! Que grita a sua falta de amor!
Que esconde rebuçados em todos os cantos da casa e se alegra do feito em não os conseguir encontrar! É uma lírica que se deita com luzes e se levanta como se fosse um pedaço de nada!
Que orienta o vento numa noite de trovoada! 
Que semeia a terra e que colhe os seus frutos como dádiva da sua alma quebrada!


Deus é uma Mulher...











Diálogo!

- E tu?! Amas?!
- Eu?! Amo, sim, profundamente! Sabes, não consigo dormir!
- Porquê?!
- Porque estás aqui dentro! E sabes que mais, quero sentir essa fortaleza outra vez, quero sentir a besta com sentimentos!
Quero sentir as tuas mãos limpas pelo meu corpo, não quero mais coisas sujas! Quero o teu respirar, a tua alma, como se fosse uma transparência! E ficava contigo mais umas horas, dias, semanas, sempre a fazer o mesmo! Sabes, amar nunca é demais!
Quero a tua loucura, o animal adormecido que todos nós temos cá dentro, quero beber do teu interior, quero sentir o teu furor!
O teu sorriso, a tua tranquilidade, até o teu grito! O negro da tua aventura! 

E a tua face!

Assim... sem medos, sem perspectivas!

O fogo do vulcão que se despe devagarinho, a harmonia do teu carinho, o amor que me elouquece, a destreza que me adormece, a fragilidade que me entristece, a segurança da tua voz, o dialogo que não é atroz, a vida que nunca se esquece de quem nos merece!

Amo, sim, profundamente! 




sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Sem muito para contar!

E bem, assim assim, sem muito para contar cá vai disto!
Obsessões a quem as não tem?!
Eu própria sou uma obcecada!
No entanto há quem seja mais e contra isso eu não posso fazer nada!
Aí há uns tempos, veio me à ideia uma expressão: " tanto batem na mesma tecla, um dia acabam debaixo de um piano" - eu ia ficando sem notas à pala de andar sempre a pensar no mesmo! E sem cabeça e sem liberdade e sem nada!
No entanto hoje já consigo controlar isto! Até porque a minha obsessão está morta, enterrada e enfiada numa gaveta junto com mais dois cadáveres! Mas fala, fala ao coração! E não me impede de ser feliz!
Antes pelo contrario, guia-me e muitas vezes põe me à prova com muitas coisas! E falo sozinha, dizem alguns! Pois falo, falo com quem eu quiser! Não tenho dono, também não sou cão para andar a correr atrás do osso! Mas sei ladrar! E mordo! E sou louca, tenho uma falha como dizem muitos! Ah, pois tenho, até tenho várias, só não permito é que me tentem mais uma vez passarem me por estúpida! Os loucos nunca têm razão! Pois não! Mas acertam nesta merda toda com uma pintarola!

Ainda gostava de saber o que é ser um cão! Hoje por acaso, ao ir buscar a miúda à escola, levei o Balu a passear comigo até ao terreiro, um cão preto, grande e que emite um ar de mau, no fundo é só aparência! E ia a lembrar me como era fixe ser um cão, sempre atrás do dono e dos ossos, principalmente de ossos que já foram comidos mastigados e que ainda por cima estão fora de prazo!

Isto tudo para dizer que cada vez mais começo a perceber que há pessoal que não se manca, como um bacano obcecado por mim e a quem eu já mandei plantar umas couves, mas parece que não entende ou como o outro que tenta a todo o custo que eu faça mais umas sessões virtuais de kinkalhada, coisa que eu neste momento, não estou nem aí, no fundo, começo a achar que cada vez que me tentam abordar, o que me apetece fazer é isso mesmo, amiguinhos, cãezinhos, como hoje de manhã logo de manhã ao ligar o telefone! E o problema é que há pessoal que anda nisto aos anos! Mas ok, cada um sabe de si! Pra mim, não dá! Manos, tenham calma, eu não quero usar as pessoas a meu bel prazer, nem quero tê las na minha companhia só porque me convêm, aliás amigos por conveniência é mandar cagar, pra isso arranjo um cão, mas um cão a sério, daqueles que ladram e que levarei a passear para não me cagar no tapete da entrada!

Pois, isto hoje não está lá assim muito bom, mas começou logo de manhã com quem me irrita solenemente como se eu tivesse que lhe fazer as vontadinhas todas! São muitas expectativas e depois lixam-se! Devem achar que isto é do povo! E só por causa disso, amanhã será um lindo dia! E desculpem lá, cãezinhos de trela e galinhas de capoeira nunca me atrairam muito! Que falta de sal!

 
Só por causa disso, vou só ali passear o cão! 








quinta-feira, 7 de novembro de 2013

I believe

E tudo vai... tudo vem... tudo respira... tudo morre! Mas nem tudo acaba!




Obrigada pelas tuas palavras!

Obrigada pelo teu respirar!
Obrigada pela tua voz em mim!
Obrigada!

E acreditarei sempre que ficarás ao meu lado na minha essência! Que serás o guardião dos meus sonhos!
Mas por favor não me testes mais, sabes que fraquejo ao ver injustiças, principalmente quando são directamente comigo!

Essa força que não me abandona, a morte que nunca me deixa, a destreza da aventura, o sorriso de uma loucura!

Obrigada por seres um dos meus guias, jamais esquecerei o que tu e os teus irmãos têm feito por mim!
Não me quero juntar a ti, pois a minha missão ainda mal começou!
Não te irei colocar flores, pois bem o pediste que não o fizesse! Apenas a saudade de um abraço eterno nos teus braços!

E como tudo o que é verdadeiro, nos liberta, acredito piamente que um dia nos veremos! Obrigada pela tua amizade acima de tudo, do amor que nunca soubeste, pelas lágrimas que enxugaste, pela paz que me deste, pelo caos que me ensinaste a viver dentro do que considero justo! Que a paz esteja sempre connosco, apesar de eu acreditar que os anjos negros jamais poderão estar quietos!

"E a partir do momento em que tu acreditas, o teu âmago, o que estás a sentir, tudo flui, nada te poderá destruir! Nada te poderá deter! Porque é a verdade que te cura, porque é o amor verdadeiro que te liberta"

sairon maste doren


Esta será das poucas que me lembro de ouvir na nossa altura!
Por ainda ser uma miuda, mas uma mulher que deixou de ter medo! 

In shala!

All I know is what I've been sold
You read my life like a fortune told
I've seen the dream, there's now land of Oz
But I got my brain and I got a heart
And courage built I won't let go
What we need right now is......soul

I can't do this, you can't do that
They feed us lines but I won't act
And all good things will come to pass
But the truth is all you have to have
And would you lie for it? cry for it? die for it?
Would you?

I believe, I believe
With every breath that I breathe
You and me can turn a whisper to a scream
I believe, I believe

You gave it all, then you gave more
You know what you came here for
You'll pay the cost, like it's your cross to bear
Are we the ones that put it there
Would you scheam for it, scream for it, bleed for it,
Would you

I believe, I believe
Believe we're still worth
The fight you'll see
There's hope for this world tonight
I believe, I believe

Don't look up on your movie screens
In record stores or magazines
Close your eyes and you will see
That you are all you really need
 

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Preocupo-me

Preocupo-me!
Com tudo, não devia, sei que por vezes demasiado preocupação sufoca as pessoas e sufoco me a mim!
Foi essa a mensagem que me deram, para não me preocupar!

Hoje apetece-me escrever o dia todo! E acabei por não fazer nada do que tinha para fazer dada à minha cabeça paranóica em querer saber mais do que não consigo!
Vou começar a falar com as pessoas sem cruzar as pernas, a senhora do centro disse-me que a energia assim não flui!
E acho que resulta, parece que têm mais sentido, ou então metendo uma mão entre as coxas para distinguir o bom do mau!

E não me apetece fazer nada! E desapareceu uma ametista aqui da porta! Quem terá sido o corvo?!
E preocupo-me! Em a fazer encontrar!

E não sei mais o que fazer para não me preocupar!
E entro em paranoias por causa de coisas sem importância! E já me começo a passar!
Porque tenho responsabilidades, princípios e não são morais! Quero mais é que os moralismos e os moralistas comam merda, que assim sempre vão engordando o seu orçamento estomacal!
E tenho de pedir desculpa a mim mesma... outra vez... porque passo a vida a pensar em coisas que não são minhas! Merda que não vale a pena como o raio da ametista que desapareceu e que ainda por cima não me pertence!
E em ter deixado morrer a artemisía! E preocupo-me!
Com os meus dentes, com a doença que descobri que tenho, hereditária! Com a pipa de massa que vou gastar, mas quero lá saber, é pelo meu bem estar! E pela falta de atenção, pela falta de visão, do meu egoísmo, por vezes!

Pelo menos hoje já consegui sorrir ao tocar numa flor, em ter visto a minha horta a crescer, em ter conquistado a confiança da Boneca, que é uma cadela abandonada que ladra a toda a gente e já por dois ou três vezes me vem lamber as mãos! Acho que afinal não sou assim tão má gente!

E esta forte dualidade que eu tenho que não me deixa descansar por vezes!
E os pesadelos que também hoje à noite fizeram questão em me assombrar!
Coisa que não acontece habitualmente!

E a distância dos meus amigos que por muito que estejam perto virtualmente, parece que nunca chega o afecto! E pelo amor incondicional que nem toda a gente percebe! E por mais o quê?!

E mais nada... porque o resto são apenas preocupações sem pouca importância de me preocupar, afinal de contas eu nem sou bombeira, porque são os fogos que eu gosto de atear...

E por não conseguir voar! 








Kaos escreve

para quê o desespero, ana
para quê
achas que me orgulho das tuas palavras
sou eu que te ordeno a dor?
ou és tu que te magoas sem sentido
ainda hoje conversámos e da minha gaveta sairam  palavras calmas
para que tanta revolta contra ti própria
mantém a tua coragem
não peças coisas que não te queremos dar
o teu caminho ainda agora começou
e a tua natureza assim o exige
deixa fluir
talvez venhas a ter uma surpresa sem que te tenhas conta
e dorme, ana
precisamos de ti ainda mais forte
porque é na tua fortaleza que reside a nossa esma







Lírico!

Farta de pessoas sinceras, de pessoas humildes, de carácter tão puro que até mete nojo!
Estou farta de me sentir abandonada por mim própria!
Odeio os demais e quero que tudo exploda!
Quero matar! Roubar, mentir e desdenhar!
Quero ser eu na forma mais primitiva do primitivo!
Quero ser um demónio que lança farpas de fogo dentro de um inferno consumista!
Quero roer te as mãos como se fosse uma maçã e com o sangue regar as minhas plantas!
Quero!
Quero morrer!
Quero envelhecer sem uma gota de sanidade!
Quero... sei lá mais o quê!
Quero lá saber!

sábado, 2 de novembro de 2013

Carta Aberta


Encontrei um ser maravilhoso que me leu a alma como se fosse uma estrela!
Rompemos na noite dos mortos onde eu acredito que os vivos éramos nós!
Não tenho palavras para descrever em poucas linhas o que vai aqui dentro!
Não quero!
Depois da porta se ter fechado as lágrimas rolaram me pela face tal como correm no decorrer desta escrita!
Não consigo!
Acho que não mereço tanta suavidade! Tanta ternura! Tanta paz!

Saí de casa tal como tinha dito e pelo caminho fui a pensar que foste o espião dos meus textos sem que eu desse conta de tanta asneira que escrevo!
O vazio que me camuflava a dor da ausência era ao mesmo tempo uma sensação estranha de preenchimento da minha mente!
A loja estava fechada, mas encontrei a quem por acaso um dia confessei que era melhor não ter sentimentos!
Observou-me dos pés á cabeça e disse-me que estava bonita e que tinha feito!
Respondi-lhe que me tinha transcendido!
Sorriu, abraçou-me e ficou contente por mim!
Levei comigo o seu e o teu odor!
Ainda o tenho! É como se quisesse prolongar o tempo que já passou!
Odeio relógios!
Odeio exageros sabendo que estou neste momento a sofrer desse mesmo pensar!
Não preciso!
Preciso de me manter ainda mais forte tal como o disseste!
Preciso de ainda mais estabilidade para poder continuar com os meus sonhos!
Incalculáveis sonhos negros!
Termino a saber que consegui ser eu sem qualquer tipo de julgamentos, também não quero saber, sou o que sou!
Uma eterna apaixonada por tudo o que me faz viver!
Em troca te dei a luz, no retorno a paz que iluminou todo o meu ser!




Texto ( Pandora Box )







Amor é fogo que arde sem se ver como diz Camões

Amor é uma pedra que derrete a baixas temperaturas

Amor é mercúrio em estado sólido

Amor é não ter nexo

Saber que o amanhã não existe

Ser um papel em branco

Conquistar a lua todos os dias

Uma porta que não tem fechadura

Fazer acontecer um arco-íris numa noite de trovoada

Construir um palácio em meia hora

Estar suspenso numa ponte sem pára quedas

Guardar um pedacinho de túnel

Um navio á deriva numa piscina

Ter calor e ter frio

Estar em sintonia com uma viola desafinada

Cantar uma noticia em hora de ponta

Pintar uma colina numa nuvem

Esperar pelo som de uma gaivota

Andar em cima de alfinetes sem me picar

Entrar numa loja e fugir sem pagar

Não ter sombra num dia de Sol

Conseguir arrancar um prego com uma agulha

Enviar uma carta e receber um selo

Tecer um vestido sem linha

Ter um soneto debaixo da almofada

Amor não é tudo

Amor não é nada

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Musica para sonhar!





Nenúfar!

Encontro-te sábia e dedicada!
Horizontes estão ao teu alcance!
Parentes te serão dados!
Vive a liberdade que sempre tiveste!
E hoje, mais um dia floresceu!
E tu, mais um dia voaste, nas asas do teu entendimento!

O meu amor por ti transcende a realidade!Não se consegue suportar tanta loucura!
Vivo em ti e em ti morrerei, pois o meu salmo é a tua virtude!
Calarei quem te queira silenciar!
Mantém!
E sem dúvida, aos teus pés areias se transformarão em diamantes!

A tranquilidade emerge de uma ponta a outra!
O medo não é o teu proposto!
É a tua serenidade que me conquista!

A alma vive, o espírito eleva-se e a morte espreitará sempre por detrás do teu ombro!
Iluminas com o teu sorriso todos aqueles que não sabem rir de si próprios!
Delicada, forte, vida, livre, solta! Como um nenúfar!









domingo, 27 de outubro de 2013

Kaos escreve

Que frivolidade!
Porque te chateias, ninfa, porque te preocupas com o silêncio dos bloqueios emocionais que insistem em não querer resolver?!
Porque?!
Será que os meus ensinamentos não te servem da nada?!
Será que as mãos que escrevem os meus textos não te dirigem a bom porto?!
Continuas a querer instigar o que não é possivel resolver pelas tuas palavras?!
Perólas nunca serão dadas a porcos!
Em tempos serão esquecidos, Ana!
Não te apresses, porque o ignóbil assim o esperará!
Humilham-se em favor de influências!
Constroem ninhos em terras inferteis!
Achas que o destino não lhes será já maldito?!
Ou crês que está ao teu alcance algo que não é compreendido!
Foi avisado! Afasta te porque perto está a sua ruína em não querer aceitar a tua bondade!
Agora esquece, continua a tua linha limpa!
Continua a tua força interior que não te deixa cair!
Tentaste! Que seja a última vez! 
A verdade será sempre a tua luz!
A verdade será sempre a tua vida!
Mudas em mim a forma de querer mais justiça?!
Justiça será feita!
Justiça terá!
Em orlas decapitantes lhes serão desonestas as viboras que lhe corroem o cerebro!
Em fases lunáticas a ideia do transposto!
Parábolas lhe cairão no interior podre de sentimentos!
Limpa!
Tu és limpa!
Quantos bloqueios, Ana?!
Quantas tempestades vais querer saber a resolver um sofrimento que não é teu!?
Admiro te a boa vontade, mas não existe escolha!
O túnel não tem saída enquanto as paredes não cairem por si! 
O tempo surgirá pela cálida manhã!
Em benérito te direi que o hemisfério controlará o que não será possivel controlar!
E em mim regozijar me ei quando o vómito o sufocar!
E em mim o êxtase de em ti me considerar uno!
Como somos!
Como continuamos a ser!
Alta, firme e decidida como tens sido!
Alma! Sangue! Espirito! Força!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Omnius las

questeré un cara derer under coror
mas toró in dere
maier io tar
indor caiour
maier indar castar
u maste un par
carin caron
amar maier
queren in to

tarin esteré ior carar
mair mair mair
castaran caier
lirar tu eres
asta cor
librar tu ere

in dar carras
costir mastor
un car te re a dar

librar tu os
librar tu quer
librar ta san
librar tu cor

omnius las

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Aparências!


Ando intrigada com esta questão das aparências!
Será possivel amar um deficiente mental?! Quando falo em deficientes mentais, falo em pessoal com carências cognitivas, intelectuais! Será que não têm o mesmo direito de todas as outras pessoas?! Será que a puta da discriminação chega ao ponto de deixarem um individuo com trissomia 21 a roer se de tesão só porque tem um problema na fala e os olhos meio amendoados?!
Ando a ver que ultimamente o pessoal anda muito perfeitinho!
Uns é porque não têm dentes, outros porque têm mau hálito, outros porque não têm cabelo, uns porque têm piercings a mais e então são discriminados na caixa do supermercado, outros tiram os piercings para poderem ser aceites pela sociedade e darem lições de moral a quem os tem! É como aqueles que criticam quem tem filhos e depois pergunto: " Olha, mas tu tens putos?!" Ah, não! Então e fosses comer merda?! Mete-me raiva estes comentários horrorosos de pessoal armado ao pingarelho que se acha rei e senhor das suas opiniões! Mete raiva, pois mete!
Eu enfiava a opinião no traseiro, principalmente aos que falam sem saber, que isso é que me mete nojo!
Aparências, só me apetece é furar me ainda mais! E tatuar o resto do corpo e meter uns implantes só do lado esquerdo a fim de parecer meio besta, meio humana, aí o verdadeiro freak! E depois, essas histórias dos nomes?! Porque o pessoal veste-se de maneira diferente, porque o pessoal até tem opções diferentes de amar! E então?! Ónix, maninhos! Mete mesmo nojo! O que mete mais nojo é termos "amigos" que depois vamos a ver, querem imitar nos ou sei lá o que seja ou porque temos liberdade a mais, ou porque nos estamos a cagar para a cena deles, ou porque temos opiniões diferentes e então acham-se no direito de censurar quem tem boa onda!
Imitações de punkalhada, frekalhada, lembra me as miudas betas da escola que andavam de lambretas e que faziam de tudo para serem umas góticas metaleiras e depois íamos a ver e se lhes mostrávamos umas fotos mais hardcore fugiam a sete pés de nós! Eu própria demorei algum tempo a perceber o que gostava de aparentar mesmo no tempo do liceu e continua a identificar-me... com tudo, a cena é aproveitar só o lado bom das coisas sem conveniências! O que interessa é aquilo que sentimos cá dentro! Ainda hoje existe uma data de pessoal assim! Imitações baratas! Ónix, eu visto me da cor que eu quiser, amanhã é de amarelo, depois será de verde e nos entretantos ainda meto umas fitinhas na cabeça à suicide girl, quero lá saber, sou o que eu quiser! E até dou liberdade a quem me queira imitar, também não sou grande exemplo, mas ao menos que imitem coisas boas, no fundo eu acho que têm é grande inveja de não poderem fazer o que querem, não é fazerem uma imitação barata de uma coisa, tal como cortarem o cabelo à punk para se sentirem integrados na tribo urbana, ou fazerem um piercing todo fofinho e uma tatuagem a dizerem punks not dead e vamos a ver, são uns hippies do cacete! E quero lá saber se acham que isto é discriminação, os nomes são para ser usados! É para fazer distinção como diz um vizinho meu que é todo contra essas coisas dos nomes! O pessoal precisa de se distinguir, o mundo já é demasiado normal e sem cor para poderemos ser todos iguais, ao menos que tenham tomates para assumir o que são, amanhã pinto a crista de verde, quero ver quem me diz que virei alface, ah pois virei! Sou do "partido" da natureza, e da natureza firme, aquela que me faz ser eu todos os dias e não uma imitação barata de um postalito que eventualmente possa passar nos media! E agora fora de brincadeiras, digam me lá se este casalinho não é sexy até ao tutano!?

É preciso é encontrar quem nos compreenda! No fundo, isto é só aparência! E acho que sofro de síndrome
kafkiano!





Isto sim, é uma imitação altamente, mas acho que ninguém me falaria na rua se fizesse uma destas, ás tantas ainda achavam que seria um animal do circo mais do que já sou! Era lindo levar a miúda à escola! Mas que é sexy, lá isso é! Talvez um dia... já faltou mais... diga-se de passagem!

E se um dia eu chegar ao céu que seja ao som destes gajos...






segunda-feira, 21 de outubro de 2013

E agora...

O pessoal não admite as cenas que sente e depois dá merda, não era mais fácil sermos todos sinceros uns com os outros e evitar os conflitos emocionais! Dá me raiva bué da merdas! O pessoal não tem é colhões! A comunicação é um dom dos humanos e há tantos traumas por resolver, eu própria ainda tenho alguns, a minha próxima meta vai ser aprender a nadar, curtia o molho aprender coisas novas e nadar seria a minha próxima libertação, tentei nas minhas férias mas parece que há algo que me sufoca quando me mando para debaixo de água, até a minha filha goza comigo e já sabe nadar melhor que eu! Enfim... fica prá próxima! Um dia não são dias e o ano tem 365 ou 366, por isso já nem me ralo, porque se for a preocupar me com tudo então não faço nada! Um abraço a todos!





domingo, 20 de outubro de 2013

Between two worlds!


Be a witch! Be a woman! No fear, big hope! No regrets! So dark! So beautifull! So deeper, my love! Dancing in the grave where you are, swimming on your soul! You are the water, I`m the spirit of your life! Green will be our trip!


sábado, 19 de outubro de 2013

Realmente... ele há coisas do outro mundo!

Bem, e hoje não me apetece dizer nada, mas vou dizer na mesma, afinal ás vezes é bom contrariar a nossa vontade! Há quem contrarie o desejo, eu deixei me de isso!
Ónix, uma pessoa sai á rua e só vê demónios, epá, mas eu curto bué a cena dos demónios, faz me assim ficar mais alerta, é muito jogo, muitos anos a virar frangos e depois admiram-se de ficarem com os pézinhos chamuscados, realmente!
Bem, não tenho assim muito para dizer, estou só a contrariar a minha vontade de não dizer... nada!
Que louca!
Pois os loucos... aqueles a quem ninguém acredita, se calhar é mesmo por isso que são loucos!
E perguntam-me: - Ana, tu estás bem?!
Claro que estou bem, a ver a destruição de tanta gente assim de longe, porque o pessoal depois cheira mal, até porque até curto o cheiro dos mortos, cheiram a ópio!
E o ópio meus, olá, se fosse assim tão fácil cheira lo!
Bem, vamos lá deixar nos de devaneios e ir ao centro da questão!
Qual questão?!
A questão não existe, continuo a acreditar que ainda há pessoal que me toma por parbinha, e ainda bem!

Pois é, o pessoal não pensa, pá, quer é putas e vinho de verde! E depois queixam-se! Ah, pois é!
Ando para aqui num desbaratinar brutal, mas também nada de grande importância! Tenho saudades minhas! Tou farta de ir ao outro mundo, onix!

Já tinha saudades de me sentir eu! E a continuar a ver que ainda há pessoal muita mamado, mais do que eu!
Mamas?! Ai mamas, mamas! Mamã, papá, vovó!
Conversa de merda, ok!

Podem mudar de canal!
Ou então de posição! Que assim evitam as dores nas costas!
Ou na ultima das hipóteses transfigurarem-se e acharem que são fantasmas!
Era muita fixe que o pessoal pudesse mudar de cara! Eu curtia ser um velho assim muita velho, cheio da rugas desdentado, com bengala e de cigarrinho ao canto da boca, enfiado no tasco o dia todo a beber penaltys de enfiada! Depois ao sair do tasco passava ali no Intendente e fazia das minhas, afinal putas e vinho verde de qualidade não é para todos e eu não me posso queixar muito!

Mas prontos, (usando aqui a pior bengala linguistica, tou mesmo a ficar velha, ou então muito estupida) pois, nem uma coisa nem outra, hoje só passei para dizer olá, a Ana foi de férias e ao voltar encontrou a caixa do correio cheio de presentes... envenenados!

Fui à ervanária e o cota não me quis vender o purgante, olhou pra mim e disse-me: " Oiça lá, você elouqueceu, eu não vendo cianeto"!

E prontos, lá me vim embora cheia de gazes porque o tipo disse-me que fazia mal ao estômago! "Mas olhe, eu estou mesmo a falar a sério, venda me lá uma beca disso!"

Mas o senhor, coitado, do alto da sua paciência, lá me dirigiu à porta por um braço, ameaçando me com a policia, pensando que fizesse parte de alguma seita maléfica e que fosse fomentar algum suícidio colectivo!



segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Por uma canção...

Dito!

Encerras o tempo na tua caixa como se fosses a guardiã dos tempos, não tenho ideia de quantas vezes te vi em cima da bicicleta, seremos um no nosso espaço temporal, a alegria inunda a tua boa vontade, seja feita a tua ideia assim eu o farei contigo, o amor puro não termina, sigo te em pensamentos, ser te à dada a teu pedido tudo o que for verdadeiro no teu coração, o espirito indomável nunca poderá controlar a essência, sinto te cada vez mais forte, não quero flores, quero vida e a tua será minha assim como o meu controle desaparece, maldição quebrada em nome de uma tradição, jamais seriamos felizes se não existisse tanta dedicação, voa nas minhas asas como se o mundo nunca mais acabasse, serei o teu umbigo nas asas do desconhecido, a tua mão esquerda a canalização de uma remota viagem até aos limites do inconsciente, as tuas mãos tremem em cada letra que escreves, canalizas o poder do oculto, vives a aurea de muitos, controla e mantém o teu ligar pois a força eminente te fará surgir dentro dos teus sentimentos, vive, ana, voa a vida como um pássaro de fogo, dentro de ti iluminas a alma que quem se julga superior, fala o que tens a falar, sê humana mais do que és e descarta tudo o que te destroi, doiem as mãos de tanto escrever, sinto que daqui se sente a força que canalio, a invela se faz sentir mas ninguem tem de saver o que nos tenemos alha
se entrará tod lo que endedrés, coron, mas es tu under te ana amare, tu el es mai, tu in is cai, maris lo sientes, te trior es tu nar, mari, cansa te, te sinto, anda... cana liza e lo jugarés fuera todo lo que te manipula


maior te será dado en lo tiempo oportuno

descansa

descansa

descanso

no operes tus limites

te ior fuerte

descansa

respira






domingo, 13 de outubro de 2013

Kaos escreve...


Amig@s!

Cuidado!
Pois quem tenta fazer mais do que pode por vezes acaba por sair derrotado!

Cuidado!
Pois o inimigo por vezes é quem nós menos esperamos!

Nunca um semblante tão radioso num minuto perdeu toda a sua luz!
Apanhados de surpresa?!
A revolta existe porque a criam para ser demonstrada a quem não a entende!
A maior cegueira é aquela em que o coração se empedreniza e em rios de sufoco cairão!
Não alimentem a hipocrisia e nunca destruam a vossa integridade! Seja ela feia ou apenas caos!
Falo por parabolas porque o entendimento ainda não chegou à plenitude que tanto querem alcançar!

Conquistem-se interiormente e daí sairá todo o vosso esplendor!






terça-feira, 8 de outubro de 2013

Kaos escreve

Ilumina te alma minha, pois a verdade fará a água virar sangue, despe te ao mundo tal como és, menina!
Serão reconhecidos todos os teus sentimentos!
O sabor a fel será o heterónimo de muitos!
Continua fiel aos teus principios, esquece os foragidos deste mundo, pois a tua integridade será sempre a tua maior virtude.
Condenam-se os fracos e em vão se reconhecem ao espelho.
Ilumina-te alma minha pela estrela da manhã Ishtar!
Corroem se lhes o espirito designado como fonte do seu alimento.
A ganância a sua destruição.
A hipocrisia o seu pior inimigo.
A cobardia a sua ruína.
Constroem pontes em águas movediças e em torno do seu carácter despreocupado serão derrotados.
Ilumina te alma minha pois em verdade a água lhes saberá a sangue e das torneiras cairá o reflexo da sua própria imundícia.
Terás o retorno em breve, sem ressentimentos, alma minha, pois o semblante de outrora será corrosivo na tua presença.
Calem-se todos e em silêncio a revolta se fará ouvir!
Abençoada és, em todos os teus actos!
Mantém a força que te demos, em prol de uma amizade unida!
Jamais te iríamos esquecer!
Afasta os pensamentos ignóbeis de tentativas frustradas de conveniência, o Universo não conspira em torno de tanta simplicidade!
Sinto te chegar como uma flor que desabrocha no meio de tanta erva daninha!

Onmi pater es tu vita!
Onderás tua cria em questo deré
Caeim isaque onder tu cor
Nesteré caimão kaos costou