quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Inferma Vampira!

A Ana está se a marimbar para tudo o que a possa corroer!
A Ana tem mais do que uma arma, chama-se experiência! Consciência! Humana! Põe se a prova muitas vezes!
A Ana tem uma vida e longe querer alguma coisa em troca de mendicidades!
A Ana quer mais é que toda a gente se dê bem, porque a Ana está farta de ver merda, de comer merda e de sentir merda!
A Ana tem mais que fazer muitas vezes com ela própria e esquece se disso em prol dos outros!
A Ana devia não ter sentimentos!
A Ana devia ser uma grandessima puta, que não interessasse a ninguém, mas não é isso que ela faz! Ela escolhe, ela espera, ela é uma ave de rapina, uma vampira! Uma serpente! E as serpentes estudam!
A Ana devia ter ódio e não tem! Tem raiva, sim, muita! Da merda que está farta de ver! De sentir!
A Ana tem muita coisa, coisas que ninguém sabe e só ela conta a quem não está cá!
A Ana vive, aprendeu a deixar se de frivolidades e de mentiras!
A Ana enfrentou-se a si própria e agora não há ninguém que a detenha!
A Ana não quer ser mais que ninguém porque a Ana sempre foi e sempre será igual a toda a gente!
A Ana perdeu o medo! 

Sabem porquê?!
Porque aprendeu a viver a verdade, aprendeu a enfrentar-se, reaprendeu a ser ela depois de tanta destruição! E quem não quiser, quem não gostar, a ela também não importa! Porque a Ana não é sozinha, dentro dela tem uma legião!
De almas! De forças! Justas! Integras! Persistentes! Conscientes!

A Ana deixou de agradar! Começou a ser ela, inconveniente! Rebelde como sempre foi!

 Bruta! 

Única!




Kastaren las

Onder castor anderé inder castaren
Mascara under sarbar
Cair onder sacaren
Quiscoron maior quir teron maier
Maior castir es lo que no par
Maior tir ter con ta mar terer
Indor cassar oscaran te diren
Quistirinin caior maier
In der cor cravan das car
In der cor orer dor grave
Quascorin incor marter un car dar cur
Maier ter seran dor car
Ma cor es carin
Ma cor es tu sangre
Cascarion bastard
In caster under cur
Sacoren der quir par
Maier cur is to par
Siquirin in cor tir
Ta sangre es unic
Ta eir es ma maier

Hipocrisia II

Ahahahaha A minha alma está parva, tanto escárnio, tanta falta de desconsideração, tanta merda dita da boca para fora e agora são todos muito amigos!? E até pede desculpa e tudo? Ahahahahah Opá, isto é inacreditável! O coraçãozinho amoleceu, foi? É da idade! Ahhahahhaha
Opá, deixem me descarregar esta frustração, por favor!
Até onde chega tanta hipocrisia, senhores?!

Do mal o menos, sempre mostrou alguma humildade!
Os conselhos da Ana fazem bem, assim de longe, mas fazem bem!
Fico contente pelo menos é menos uma preocupação, ou mais uma conveniência com tantos projectos!?
Ahahahah
Ónix, bem hajam! Sim senhora sua mãe ensinou-lhe qualquer coisa!

O tempo o dirá!
É só isto o que eu tenho a dizer! E não me estou a rir de maldade, estou a rir me de espanto! Ainda há coisas que me surpreendem!

E ainda bem, significa que afinal ainda existe algo de bom nos hereges, ateus e por aí fora!

Deve ter sido a consciência porque fé foi coisa que eu nunca vi!  A fé também não é precisa!
E sem rancor! Porque o ódio também foi sentimento que nunca cultivei! 

Fico muito, muito contente!

Tenho dito!
Até ao meu regresso!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Imhotep









 


Kaos escreve a tod@s!

Chegou a hora de enfrentarmos a pior das ameaças!
A mentira, a falta de introspecção!
A falta de confiança!
A falta de iniciativa!
A falta de tudo o que vos é benéfico!
A integridade será sempre a vossa maior vitória!
A liberdade a vossa maior querença!
A vida o vosso bem mais precioso!
Não temam, pois o caminho é livre, tortuoso mas gratificante para quem tem coragem de assumir os erros do passado, corrigir os erros do presente, alterar o vosso futuro!
Que sejam limpos os pensamentos, que sejam limpas as atitudes, que sejam limpas as vossas mãos em tudo o que tocarem!
Ninguém nasce perfeito, mas podem todos os dias da vossa vida tentarem ser o mais limpos possível!
Energia livre! Energia super! Energia limpa!
Não se desgastem em frivolidades, não se desgastem em agonias, não se percam em conveniências, tudo isso é influência de quem vos oprime! Não se oprimam a vocês próprios, não procurem paz onde só existe guerra!

Libertem-se! A vossa vida é o dom mais precioso da Mãe Terra!
Vivam-na e assim serão poderosos em todas as vossas decisões!
E jamais a tristeza fará parte do vosso semblante!
Este é o poder da Razão! 



terça-feira, 19 de novembro de 2013

Contas!

Epá, apetece-me dizer mal, mas dizer mal no bom sentido, não gosto de deitar abaixo as pessoas, mas hoje depois de mais um dia de reciclagem, apetece-me dizer algo! E vou começar por algo extremamente estúpido: a merda do facebook! E já é muito estúpido falar sobre ele!
Enquanto muitos preferem enviar mensagens de boa esperança, ainda há outros que escarrapacham a vida toda, eu já fiz isso e arrependi-me redondamente! A coisa mais fixe disto tudo era que na altura era censurada por o fazer e acabam por cair no mesmo erro! Isto é de gritos, não é!?
Apetece-me um dia postar algo tipo: " vou cagar, será que o papel sai de que cor?!" Não dá, meus, acho que nunca o faria! Mas há quem ponha, acho piada! Apetece-me rir com tanta imbecilidade que tenho visto! No entanto ainda consigo concordar com uma data de gente, citações do genero: "Não estou à venda" ou "Gang da alcovitaria, o auge do ridículo, sempre ao serviço da estupidez humana" ou ainda "Vou ali dar 2 tiros para o ar, não se assustem"! Meus, isto é fabuloso!  
E acho piada ao pessoal que se chateia e depois são os melhores amigos, que dizem raios e coriscos e depois é vê-los lamber o cu ao vizinho, a verdadeira hipocrisia, as amizades conseguidas à pala da "boa vontade" do "jeitinho", do espectáculo que fazem de quem já partiu, bem, isto é só rir amigos, depende do que chamamos "amigos", não considero meu amigo quem se aproveita das minhas fragilidades, não considero meu amigo quem me discrimina, não considero meu amigo quem se acha superior e depois, pá... acho que não digo mais nada, afinal este blog é quase o meu segundo facebook, mas mais restrito, pouca confiança! Não posso falar muito, depois enterro-me! Quem muito baixa as calças, acaba sempre por mostrar o cu! 
E começo a perceber que há gente que não combina nada comigo! E começo a perceber que há gente cheia de raiva que destila ódio diariamente só para puxar a atenção de uns pobres influenciados na sua falta de auto estima que começa numa bola de estrume e termina numa corrente de merda, anda tudo atrás uns dos outros tipo filme centopeia humana, mas também só come merda quem quer e eu há muito tempo que deixei de me conspurcar! Complexos de inferioridade!

Podia ter ido à festa dos Anunnakis, sempre me divertia mais, conhecia gente nova e dizia umas parvoíces dignas de ficar na lembrança dos presentes e nunca registado num post perdido num mural qualquer de algum palhaço cheio de merdices moralistas e arrogantes! Mas não deu, valores mais altos se levantaram, irei na próxima, garantidamente será festa rija! 

Adoro ver discussões ideologicas, como os vegans contra os não sei quantos, os comunas contra os rashs, os espiritualistas contra os ateus e teorias das conspirações que por vezes roçam o ridículo da violência, já para não falar no futebol, admito que já achei mais piada, mas subi de nivel, há coisas mais importantes como estar com quem me merece, a minha familia por exemplo, os amigos e a minha vida! No fundo, percebo que a minha familia é grande, entre todos! E eles sabem bem quem são! 

E há ainda quem fale nos agarrados, nos junkies e por aí fora, quando afinal fazemos todos o mesmo! 
No fundo só muda o vicio! 

Quando é que ganhamos coragem de nos assumirmos como realmente somos!?




sábado, 16 de novembro de 2013

Vidas!

Vou escrever de pernas cruzadas só para ver como sai a escrita, sai na mesma, mas enfim...
Pesadelos! Superstições! Filmes e Emoções!
Eu já não tenho estofo para alancar com mais pesos pesados, já basta a herança genética que o meu pai me deixou! Ainda à tempos na conversa com uma amiga lhe disse que ando a rebentar pelas costuras! E nem é por me faltar alguma coisa, porque faltar falta sempre, é mesmo pelo excesso de zelo, mais com os outros do que comigo! Pois, parece que mais uma vez sem ser preciso viajar mais de quatrocentos quilometros, terei de voltar a utilizar os compassos e começar a ser parecida como uma pista de carrinhos de choque: mais uma moeda, mais uma voltinha! Desta vez  a mais de 380 graus e de preferência a kilometros luz a mais de Andrómeda!
Mas é com tudo, as ratazanas já foram apanhadas como ratos medrosos e mentirosos, eu tinha vergonha, espero que quando me encontrar não me dirija a palavra, afinal as putas têm doenças, só mesmo pelo respirar e posso sempre transmitir alguma, depois temos os energúmenos que acham que isto aqui é sempre a aviar, esses passo bem, depois temos os cromos... e cada um...
Enfim... só histórias de vedetas, com a mania que não são nada e depois parecem galos de capoeira armados em galifões, epá, não tenho paciência, não tenho paciência mesmo!
Esta vida já parece um mortal combate em que cada um tem de provar aquilo que vale, foram-se que paciência!
Uns gozam à boca cheia a desgraça dos outros e as respectivas loucuras, uns imitam, outros tentam ser aquilo que não são e vejo os desfilar como que perus e pavões! Cada um com a sua! Eu já tenho o meu quinhão, aliás acho até que me posso dar por muito contente por tanta merda na minha vida e ainda conseguir estar de pé! É triste, o pessoal ter de se por á venda e ainda por cima acharem que os outros o farão! Que estupidez, que contágio! E depois eu é que sou a maluca! É como aqueles mentirosos que mentem tanto que se obrigam a eles próprios a acreditar nas suas mentiras! Eu já fui assim, menti imenso e a mim própria, como forma de terapia e como forma de defesa, no entanto tudo não passava de uma história que mais tarde desmascarei! Resultou, chama-se psicologia invertida!
Era estupido, mas não precisei de provar nada a ninguém, como muitos fazem para provarem em imagens aquilo que dizem fazer, ou ser!

E essa história dos "wanna be" começa cada vez mais a fazer sentido, principalmente quando me querem comprar com histórias irónicas e sem pés nem cabeça. Mais mentiras, é impressionante como ainda julgarem possivel tentarem mentir a quem já mentiu tanto, é tipo desafio, dá me gozo entrar no jogo, para ver até que ponto vai o desespero humano! Sou cruel ás vezes, lembro me de alguma gente a quem furaria os olhinhos assim com uns garfinhos ferrujentos! Ou então deixá los definhar na sua própria merda! Acho que a última faz mais sentido, assim não me lixo como agressora e o tempo encarregar-se-á da justiça! Tudo a seu tempo! Grande guerreira, cada vez mais eloquente e mais inteligente! E cada vez mais justa! E mais alerta!  E que belas armadilhas tenho encontrado! Sintra está a fazer me bem, pelo menos a pestana está mais aberta, mas nem por isso mais doce! Não gosto de espert@s, oportunistas e amigos de ocasião, é só o que tenho a dizer, mais tarde ou mais cedo são desmascarados e tem me dado um gozo abrir tantas caixas de pandora, com sentido ainda por cima! E siga lá então continuar nesta street fight de emoções que eu tanto gosto de desbaratinar! Não lhes tiro o mérito, afinal de contas existe um lema muito forte que é " nunca subestimar o inimigo"! É que esta vida é mesmo uma guerra! Alguns merecem, outros nem por isso nunca fui pessoa de me parasitar ao parceiro, nunca precisei de hospedeiro, não sou parasita, sou vampiro! Mexo cada vez mais com energias! E gosto muito menos de brincar com os sentimentos dos outros!


 
E não sei qual das fatalities gosto mais!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Hipocrisia!

Ora aí está uma bela palavra que eu gosto tanto de discutir! Tal como gosto de discutir um outro assunto chamado violência! E que me desculpem, mas tinha de vir escrever, senão ás tantas ainda rebentava!
Pois bem, cá vai!
Violência e hipocrisia é quando alguém que se diz teu "companheiro" "admite" que um par de estalos te faz ir parar ao hospital  com a boca aberta do lado direito e que tive de usar um aparelho correctivo mais de três meses! Grata estou por me ter livrado de tamanha monstruosidade!
Violência é quando a pessoa em questão admite que quer resolver as coisas mas não dá um passo nesse sentido! Mas também o que há para resolver?! Da minha parte, nada, só não admito é que me tentem passar por mentirosa! Que fique aqui expresso e escrito, fui eu que agredi, sem dúvida e ripostaram em seu direito, mas não são um par de estalos que faz uma pessoa ter de ser atendida num hospital público com um dente deslocado!? Pois não?! É que a força de um estalo é uma coisa seca, não é traumatizante! Depende do sitio, não é!? Pois, neste caso, queria saber a opinião de mais alguém! Já para não falar na razão pela qual tudo começou, mas não vale a pena discutir com quem já tem um historial violento com outras ex companheiras! Ah e deixei de brincar! A partir de agora... é melhor nem nos encontrarmos... a vergonha vai ser maior! Eu dou te uma guerra, mas uma guerra de sentimentos! E vamos ver quem sai ileso! Temos colhões ou vamos continuar a ser um cobardolas!? Se calhar é melhor não mexer muito na merda, ficamos a cheirar mal!
Violência é quando nos tentam passar por hipocritas e mentirosos quando afinal não o somos e se escondem atrás de um ecrã fazendo bulling no sentido de se descartarem da responsabilidade! Isto mete me nojo e há de sempre meter e nunca me hei de render e em qualquer lado que eu vá, a verdade há de ser sempre a minha arma! Sempre! Porque é a verdade que te liberta, a humildade que te cura, a destreza que te faz evoluir!
Tenho dito e dizer lo ei a quem me confrontar! Pensavam que eu iria ser fraca o resto da vida, coitadinha!?
Espero ansiosamente pelo dia do confronto, com testemunhas e tudo, mas como os cobardes tem tendência a não querer ouvir, vão pelo caminho mais fácil: a violência! A violência verbal! A manipulação sentimental! Aquela que hei de sempre combater!
Na realidade, já não quero saber, só gostava que finalmente a pessoa em questão tivesse paz, porque eu lamentavelmente até provas tenho da agressão! E não é preciso fazer muito, é só pedir os registos da consulta! E não venho para aqui lavar roupa suja, venho para aqui desabafar! É no terreno que se vêm os grandes guerreiros! E colhões tenho uns maiores do que muita gente pensa!

E muito boa fui em não ter feito queixa na policia como me aconselharam a fazer aquando estava a ser consultada!

Por isso, mais uma vez quem quiser ganhar uma guerra através da mentira, comigo já era! E não preciso de aliados, vou sozinha porque o medo já o perdi, vontade tenho muita de destruir quem me tenta destruir! E a minha luta há de continuar até ao fim dos meus dias, garanto que nem uma só noite dormirá descansado, porque são as atitudes que nos molestam a consciência! Só tenho pena de quem se diz tão libertário, tão "anarquista", tão liberal, se dê ao "trabalho" de ainda tentar enganar os mais incautos e de não assumir verdadeiramente as suas carências! E tenho paleio, tenho, mas para quem o merece e decididamente, falar com "mortos" em vida não é bem a minha onda! Gosto mais de mortos enclausurados em cemitérios, pelo menos dialogam e sempre me respeitam!
 




domingo, 10 de novembro de 2013

Deus é uma Mulher!

Deus é uma Mulher!
Que não tem asas e voa na mesma!
Que não se importa de morrer!
Que tem asco a quem a interrompe no meio da escuridão, que com o seu sangue fertiliza a terra como se fosse um punhado de sal! Que tem coração!

Deus é uma Mulher!
Que atormenta quando lhe tiram os filhos para dar para adopção! Que sente no seu intimo a injustiça dos que caminham mortos em opressão! Que lança ódios e pragas a quem a magoa, que sente no seu coração o que mais ninguém apregoa! 

Deus é uma Mulher que se despe numa praia cheia de gente e que engole a espuma do mar como se fosse um navio à deriva!
Deus é uma Mulher que faz acontecer o Sol num dia de chuva, que nunca se arrepende da sua luta! Que vive o presente, o inicio e o que já passou! Que é quente! Que sente!

Que sofre por sua querença, que vive a sua lembrança, que nutre a vida como uma fonte cristalina de alegorias! Que não se envergonha da sua dor! Que grita a sua falta de amor!
Que esconde rebuçados em todos os cantos da casa e se alegra do feito em não os conseguir encontrar! É uma lírica que se deita com luzes e se levanta como se fosse um pedaço de nada!
Que orienta o vento numa noite de trovoada! 
Que semeia a terra e que colhe os seus frutos como dádiva da sua alma quebrada!


Deus é uma Mulher...











Diálogo!

- E tu?! Amas?!
- Eu?! Amo, sim, profundamente! Sabes, não consigo dormir!
- Porquê?!
- Porque estás aqui dentro! E sabes que mais, quero sentir essa fortaleza outra vez, quero sentir a besta com sentimentos!
Quero sentir as tuas mãos limpas pelo meu corpo, não quero mais coisas sujas! Quero o teu respirar, a tua alma, como se fosse uma transparência! E ficava contigo mais umas horas, dias, semanas, sempre a fazer o mesmo! Sabes, amar nunca é demais!
Quero a tua loucura, o animal adormecido que todos nós temos cá dentro, quero beber do teu interior, quero sentir o teu furor!
O teu sorriso, a tua tranquilidade, até o teu grito! O negro da tua aventura! 

E a tua face!

Assim... sem medos, sem perspectivas!

O fogo do vulcão que se despe devagarinho, a harmonia do teu carinho, o amor que me elouquece, a destreza que me adormece, a fragilidade que me entristece, a segurança da tua voz, o dialogo que não é atroz, a vida que nunca se esquece de quem nos merece!

Amo, sim, profundamente! 




sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Sem muito para contar!

E bem, assim assim, sem muito para contar cá vai disto!
Obsessões a quem as não tem?!
Eu própria sou uma obcecada!
No entanto há quem seja mais e contra isso eu não posso fazer nada!
Aí há uns tempos, veio me à ideia uma expressão: " tanto batem na mesma tecla, um dia acabam debaixo de um piano" - eu ia ficando sem notas à pala de andar sempre a pensar no mesmo! E sem cabeça e sem liberdade e sem nada!
No entanto hoje já consigo controlar isto! Até porque a minha obsessão está morta, enterrada e enfiada numa gaveta junto com mais dois cadáveres! Mas fala, fala ao coração! E não me impede de ser feliz!
Antes pelo contrario, guia-me e muitas vezes põe me à prova com muitas coisas! E falo sozinha, dizem alguns! Pois falo, falo com quem eu quiser! Não tenho dono, também não sou cão para andar a correr atrás do osso! Mas sei ladrar! E mordo! E sou louca, tenho uma falha como dizem muitos! Ah, pois tenho, até tenho várias, só não permito é que me tentem mais uma vez passarem me por estúpida! Os loucos nunca têm razão! Pois não! Mas acertam nesta merda toda com uma pintarola!

Ainda gostava de saber o que é ser um cão! Hoje por acaso, ao ir buscar a miúda à escola, levei o Balu a passear comigo até ao terreiro, um cão preto, grande e que emite um ar de mau, no fundo é só aparência! E ia a lembrar me como era fixe ser um cão, sempre atrás do dono e dos ossos, principalmente de ossos que já foram comidos mastigados e que ainda por cima estão fora de prazo!

Isto tudo para dizer que cada vez mais começo a perceber que há pessoal que não se manca, como um bacano obcecado por mim e a quem eu já mandei plantar umas couves, mas parece que não entende ou como o outro que tenta a todo o custo que eu faça mais umas sessões virtuais de kinkalhada, coisa que eu neste momento, não estou nem aí, no fundo, começo a achar que cada vez que me tentam abordar, o que me apetece fazer é isso mesmo, amiguinhos, cãezinhos, como hoje de manhã logo de manhã ao ligar o telefone! E o problema é que há pessoal que anda nisto aos anos! Mas ok, cada um sabe de si! Pra mim, não dá! Manos, tenham calma, eu não quero usar as pessoas a meu bel prazer, nem quero tê las na minha companhia só porque me convêm, aliás amigos por conveniência é mandar cagar, pra isso arranjo um cão, mas um cão a sério, daqueles que ladram e que levarei a passear para não me cagar no tapete da entrada!

Pois, isto hoje não está lá assim muito bom, mas começou logo de manhã com quem me irrita solenemente como se eu tivesse que lhe fazer as vontadinhas todas! São muitas expectativas e depois lixam-se! Devem achar que isto é do povo! E só por causa disso, amanhã será um lindo dia! E desculpem lá, cãezinhos de trela e galinhas de capoeira nunca me atrairam muito! Que falta de sal!

 
Só por causa disso, vou só ali passear o cão! 








quinta-feira, 7 de novembro de 2013

I believe

E tudo vai... tudo vem... tudo respira... tudo morre! Mas nem tudo acaba!




Obrigada pelas tuas palavras!

Obrigada pelo teu respirar!
Obrigada pela tua voz em mim!
Obrigada!

E acreditarei sempre que ficarás ao meu lado na minha essência! Que serás o guardião dos meus sonhos!
Mas por favor não me testes mais, sabes que fraquejo ao ver injustiças, principalmente quando são directamente comigo!

Essa força que não me abandona, a morte que nunca me deixa, a destreza da aventura, o sorriso de uma loucura!

Obrigada por seres um dos meus guias, jamais esquecerei o que tu e os teus irmãos têm feito por mim!
Não me quero juntar a ti, pois a minha missão ainda mal começou!
Não te irei colocar flores, pois bem o pediste que não o fizesse! Apenas a saudade de um abraço eterno nos teus braços!

E como tudo o que é verdadeiro, nos liberta, acredito piamente que um dia nos veremos! Obrigada pela tua amizade acima de tudo, do amor que nunca soubeste, pelas lágrimas que enxugaste, pela paz que me deste, pelo caos que me ensinaste a viver dentro do que considero justo! Que a paz esteja sempre connosco, apesar de eu acreditar que os anjos negros jamais poderão estar quietos!

"E a partir do momento em que tu acreditas, o teu âmago, o que estás a sentir, tudo flui, nada te poderá destruir! Nada te poderá deter! Porque é a verdade que te cura, porque é o amor verdadeiro que te liberta"

sairon maste doren


Esta será das poucas que me lembro de ouvir na nossa altura!
Por ainda ser uma miuda, mas uma mulher que deixou de ter medo! 

In shala!

All I know is what I've been sold
You read my life like a fortune told
I've seen the dream, there's now land of Oz
But I got my brain and I got a heart
And courage built I won't let go
What we need right now is......soul

I can't do this, you can't do that
They feed us lines but I won't act
And all good things will come to pass
But the truth is all you have to have
And would you lie for it? cry for it? die for it?
Would you?

I believe, I believe
With every breath that I breathe
You and me can turn a whisper to a scream
I believe, I believe

You gave it all, then you gave more
You know what you came here for
You'll pay the cost, like it's your cross to bear
Are we the ones that put it there
Would you scheam for it, scream for it, bleed for it,
Would you

I believe, I believe
Believe we're still worth
The fight you'll see
There's hope for this world tonight
I believe, I believe

Don't look up on your movie screens
In record stores or magazines
Close your eyes and you will see
That you are all you really need
 

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Preocupo-me

Preocupo-me!
Com tudo, não devia, sei que por vezes demasiado preocupação sufoca as pessoas e sufoco me a mim!
Foi essa a mensagem que me deram, para não me preocupar!

Hoje apetece-me escrever o dia todo! E acabei por não fazer nada do que tinha para fazer dada à minha cabeça paranóica em querer saber mais do que não consigo!
Vou começar a falar com as pessoas sem cruzar as pernas, a senhora do centro disse-me que a energia assim não flui!
E acho que resulta, parece que têm mais sentido, ou então metendo uma mão entre as coxas para distinguir o bom do mau!

E não me apetece fazer nada! E desapareceu uma ametista aqui da porta! Quem terá sido o corvo?!
E preocupo-me! Em a fazer encontrar!

E não sei mais o que fazer para não me preocupar!
E entro em paranoias por causa de coisas sem importância! E já me começo a passar!
Porque tenho responsabilidades, princípios e não são morais! Quero mais é que os moralismos e os moralistas comam merda, que assim sempre vão engordando o seu orçamento estomacal!
E tenho de pedir desculpa a mim mesma... outra vez... porque passo a vida a pensar em coisas que não são minhas! Merda que não vale a pena como o raio da ametista que desapareceu e que ainda por cima não me pertence!
E em ter deixado morrer a artemisía! E preocupo-me!
Com os meus dentes, com a doença que descobri que tenho, hereditária! Com a pipa de massa que vou gastar, mas quero lá saber, é pelo meu bem estar! E pela falta de atenção, pela falta de visão, do meu egoísmo, por vezes!

Pelo menos hoje já consegui sorrir ao tocar numa flor, em ter visto a minha horta a crescer, em ter conquistado a confiança da Boneca, que é uma cadela abandonada que ladra a toda a gente e já por dois ou três vezes me vem lamber as mãos! Acho que afinal não sou assim tão má gente!

E esta forte dualidade que eu tenho que não me deixa descansar por vezes!
E os pesadelos que também hoje à noite fizeram questão em me assombrar!
Coisa que não acontece habitualmente!

E a distância dos meus amigos que por muito que estejam perto virtualmente, parece que nunca chega o afecto! E pelo amor incondicional que nem toda a gente percebe! E por mais o quê?!

E mais nada... porque o resto são apenas preocupações sem pouca importância de me preocupar, afinal de contas eu nem sou bombeira, porque são os fogos que eu gosto de atear...

E por não conseguir voar! 








Kaos escreve

para quê o desespero, ana
para quê
achas que me orgulho das tuas palavras
sou eu que te ordeno a dor?
ou és tu que te magoas sem sentido
ainda hoje conversámos e da minha gaveta sairam  palavras calmas
para que tanta revolta contra ti própria
mantém a tua coragem
não peças coisas que não te queremos dar
o teu caminho ainda agora começou
e a tua natureza assim o exige
deixa fluir
talvez venhas a ter uma surpresa sem que te tenhas conta
e dorme, ana
precisamos de ti ainda mais forte
porque é na tua fortaleza que reside a nossa esma







Lírico!

Farta de pessoas sinceras, de pessoas humildes, de carácter tão puro que até mete nojo!
Estou farta de me sentir abandonada por mim própria!
Odeio os demais e quero que tudo exploda!
Quero matar! Roubar, mentir e desdenhar!
Quero ser eu na forma mais primitiva do primitivo!
Quero ser um demónio que lança farpas de fogo dentro de um inferno consumista!
Quero roer te as mãos como se fosse uma maçã e com o sangue regar as minhas plantas!
Quero!
Quero morrer!
Quero envelhecer sem uma gota de sanidade!
Quero... sei lá mais o quê!
Quero lá saber!

sábado, 2 de novembro de 2013

Carta Aberta


Encontrei um ser maravilhoso que me leu a alma como se fosse uma estrela!
Rompemos na noite dos mortos onde eu acredito que os vivos éramos nós!
Não tenho palavras para descrever em poucas linhas o que vai aqui dentro!
Não quero!
Depois da porta se ter fechado as lágrimas rolaram me pela face tal como correm no decorrer desta escrita!
Não consigo!
Acho que não mereço tanta suavidade! Tanta ternura! Tanta paz!

Saí de casa tal como tinha dito e pelo caminho fui a pensar que foste o espião dos meus textos sem que eu desse conta de tanta asneira que escrevo!
O vazio que me camuflava a dor da ausência era ao mesmo tempo uma sensação estranha de preenchimento da minha mente!
A loja estava fechada, mas encontrei a quem por acaso um dia confessei que era melhor não ter sentimentos!
Observou-me dos pés á cabeça e disse-me que estava bonita e que tinha feito!
Respondi-lhe que me tinha transcendido!
Sorriu, abraçou-me e ficou contente por mim!
Levei comigo o seu e o teu odor!
Ainda o tenho! É como se quisesse prolongar o tempo que já passou!
Odeio relógios!
Odeio exageros sabendo que estou neste momento a sofrer desse mesmo pensar!
Não preciso!
Preciso de me manter ainda mais forte tal como o disseste!
Preciso de ainda mais estabilidade para poder continuar com os meus sonhos!
Incalculáveis sonhos negros!
Termino a saber que consegui ser eu sem qualquer tipo de julgamentos, também não quero saber, sou o que sou!
Uma eterna apaixonada por tudo o que me faz viver!
Em troca te dei a luz, no retorno a paz que iluminou todo o meu ser!




Texto ( Pandora Box )







Amor é fogo que arde sem se ver como diz Camões

Amor é uma pedra que derrete a baixas temperaturas

Amor é mercúrio em estado sólido

Amor é não ter nexo

Saber que o amanhã não existe

Ser um papel em branco

Conquistar a lua todos os dias

Uma porta que não tem fechadura

Fazer acontecer um arco-íris numa noite de trovoada

Construir um palácio em meia hora

Estar suspenso numa ponte sem pára quedas

Guardar um pedacinho de túnel

Um navio á deriva numa piscina

Ter calor e ter frio

Estar em sintonia com uma viola desafinada

Cantar uma noticia em hora de ponta

Pintar uma colina numa nuvem

Esperar pelo som de uma gaivota

Andar em cima de alfinetes sem me picar

Entrar numa loja e fugir sem pagar

Não ter sombra num dia de Sol

Conseguir arrancar um prego com uma agulha

Enviar uma carta e receber um selo

Tecer um vestido sem linha

Ter um soneto debaixo da almofada

Amor não é tudo

Amor não é nada